Floripa News
Cota??o
Florian?polis
Twitter Facebook RSS

Seca na Argentina e chuvas atrasando colheita no Brasil mantém viés de alta para soja em Chicago

Publicado em 03/03/2021 Editoria: AgroNews Comente!


CORN - MILHO

Em Chicago as cotações do milho terminaram a quarta-feira com baixas expressivas. Os futuros do grão caíram mais de 1% - ou algo entre 3,25 e 10,50 pontos - com o março sendo cotado a US$ 5,50 e o julho, US$ 5,24 por bushel.

miho
     
Chicago (CME)
CONTRATO US$/bu VAR
mar/21 550,25 -10,5
MAY 2021 535,25 -9,75
jul/21 524 -8,75
SEP 2021 489,75 -3,25
Última atualização: 17:02 (03/03)

"Parte das altas registradas nesta terça (2) pelo mercado de grãos foram corrigidas nesta quarta-feira com um movimento de vendas técnicas e realização de lucros", explicam os analistas de mercado do portal americano Farm Futures.

Ademais, uma demanda menos intensa e ativa nas últimas semanas, em especial da China, também pesa sobre as cotações. Sobre a demanda interna, atenção à produção de etanol que, apesar de um aumento na última semana, ainda continua aquém dos últimos meses. 

A produção do combustível foi interrompida nas últimas semanas em função do frio intenso nos Estados Unidos, mas tende a se recuperar nas próximas, ainda segundo os especialistas internacionais. 

O mercado físico do milho seguiu sustentado com base na alta do dólar e os negócios ainda travados em boa parte das praças paulistas. A volatilidade nos mercados nacional e internacional também tem crescido nos últimos dias. Em Campinas-SP, as referências giram entre R$84,00 e 86,00/saca, CIF, 30d.

O Estado do Rio Grande do Sul apresentou mais um dia com pouca movimentação nas  negociações.A  colheita avança firme e os trabalhos de campo encontram-se na faixa de 50%, ao passo que em anos anteriores o percentual era de 47%. Conforme relatamos em semanas anteriores, toda a região noroeste apresentou perdas pela estiagem, sendo que as demais estão colhendo  entre 130 a 150 sacas, o que é considerado uma boa produtividade para o Estado.

Santa Catarina tem lotes negociados a R$ 82,50 em Xanxerê e R$ 85,00 em Campos Novos. Novamente, os grandes players de Santa Catarina parecem buscar em maiores prazos o que esperam atender para os lotes que o mercado ofereceu no dia de hoje.  As principais indicações de compra partem de 30 dias, e alcançam até 90 dias em seus prazos, e na sua maior parte são para entregas em abril e maio. Entre  as  indicações,  vendedores  em  Xanxerê com pedidas de R$ 85,00 no diferido, e compradores indicando R$ 83,50, tanto nesta região como no oeste.

Já o Paraná colheu 46% da primeira safra e plantou 28% da Safrinha. O relatório semanal de acompanhamento das culturas, divulgado pelo  Deral-PR, registra que o estado já colheu 46% dos 359.735 hectares plantados da sua safra de verão. As lavouras ainda não colhidas estão 72% boas, 21% médias e 7% ruins e apresentam-se 5% em floração, 22% em frutificação e 73% em maturação, o que significa aumento da disponibilidade a curto prazo.

As lavouras apresentam-se 91% boas, 8% médias e 1% ruins, estando nas fases de germinação (63%), desenvolvimento vegetativo (36%) e floração (1%). As vendas de milho no Paraná têm encontrado, há pelo menos duas semanas, o percalço de disputar o mercado com a entrada da safra de soja, e seus altos preços no porto, o que tem esfriado bastante as negociações.

miho
     
  B3 (Bolsa)  
mar/21 87,69 -0,42%
mai/21 90,45 -0,66%
jul/21 86,4 2,49%
set/21 81,67 -0,75%
Última atualização: 17:42 (03/03)

Os preços do milho dispararam na B3, o mercado futuro brasileiro, nesta quarta-feira (3) e renovaram suas máximas do ano. As altas entre os vencimentos mais negociados foram de mais de 2% e os fechamentos variaram entre R$ 82,29 - no setembro/21 - e R$ 91,05 - no maio/21. Segundo explicaram analistas da Agrinvest Commodities, dois fatores foram fundamentais para este movimento: dólar e clima. 

A moeda americana operou, nesta quarta, com altas fortes durante todo o dia, superou os R$ 5,70 e chegou a registrar alta de mais de 1,7%. Apenas no final do dia, a divisa inverteu o sinal e terminou estável, cotado a R$ 5,6624. 

"Investidores acionaram expressivas ordens de vendas na reta final dos negócios, após o presidente da Câmara garantir que o Congresso não permitirá furo do teto de gastos", informou a agência de notícias Reuters.

INDICADOR DO MILHO ESALQ/BM&FBOVESPA (Mercado)
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$
03/03/2021 87,06 1,10% 1,93% 15,14
02/03/2021 86,11 0,61% 0,82% 15,2
01/03/2021 85,59 0,21% 0,21% 15,29
26/02/2021 85,41 -0,21% 2,48% 15,3
25/02/2021 85,59 0,47% 2,70% 15,55
         

Entretanto, a disparada registrada mais cedo puxou forte as cotações do cereal na B3 e o impacto foi sentido também no mercado físico, onde as referências terminaram o dia com ganhos de mais de 2% em algumas das praças de comercialização pesquisadas pelo Notícias Agrícolas. Em Maracaju/MS, por exemplo, a alta foi de 2,74% para R$ 75,00 por saca. Em Campinas/Sp, alta de 1,12% para R$ 90,00. 

INDICADOR DO MILHO ESALQ/BM&FBOVESPA (Mercado)
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$
03/03/2021 87,06 1,10% 1,93% 15,14
02/03/2021 86,11 0,61% 0,82% 15,2
01/03/2021 85,59 0,21% 0,21% 15,29
26/02/2021 85,41 -0,21% 2,48% 15,3
25/02/2021 85,59 0,47% 2,70% 15,55
         

No porto de Paranaguá, a referência se manteve estável nos R$ 84,00 por saca.  Ao lado do dólar, as adversidades climáticas que comprometem a colheita da soja e atrasam o plantio da segunda safra de milho também são combustível para o avanço. Em Mato Grosso, de acordo com as últimas informações do Imea (Insituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária), o atraso na semeadura do cereal é o segundo maior da história e já leva boa parte da safra para fora da janela ideal para o cultivo. 

"Se o Mato Grosso está atrasado, sendo o mais adiantado, todos os demais estados produtores também apresentarão grande atraso na semeadura e aumento considerável de riscos à produção, entre eles seca no Centro-Oeste, geadas no sul do Mato Grosso do Sul, Paraná", explica a Agrinvest. 


SOYBEAN - SOJA

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quarta-feira, 3, com preços mais mais baixos. A preocupação com a demanda manteve o mercado sob pressão e contribui para um movimento de liquidação por parte de fundos e especuladores.

SOJA - CME - CHICAGO
CONTRATO US$/bu Variação (cts/US$) Variação (%)
mar/21 14,1075 -3,25 -0,23
mai/21 14,075 -5 -0,35
jul/21 13,915 -7,25 -0,52
ago/21 13,48 -4,75 -0,35
Última atualização: 17:02 (03/03)  
       

O anúncio de mais um surto de peste suína africana na China trouxe preocupações sobre a demanda do país asiático por produtos que compõem a ração animal. Além disso, hoje foi mais um dia sem anúncio de vendas por parte dos exportadores privados norte-americanos.

As perdas desta quarta foram limitadas pelo cenário fundamental. Os contratos encerraram longe das mínimas, ainda reflexo da preocupação com o clima de pouca chuva na Argentina e de excesso no Brasil.

SOJA - PREMIO - CBOT / PNG
CONTRATO VALOR
mar/21 -5
abr/21 10
mai/21 20
jun/21 45
Última atualização: 03/03/2021

Os contratos da soja em grão com entrega em maio fecharam com baixa de 5 centavos de dólar por libra-peso ou 0,35% a US$ 14,07 por bushel. A posição julho teve cotação de US$ 13,91 por bushel, com perda de 7,25 centavos ou 0,51%.

Nos subprodutos, a posição maio do farelo recuou US$ 2,90 ou 0,68% a US$ 418,80 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em maio fecharam a 49,78 centavos de dólar, com ganho de 0,12 centavo ou 0,24%.

Para a soja, há uma pressão maior que vem ainda da continuidade do recuo das cotações do farelo na Bolsa de Dalian, na China, com as zoonoses se agravando em partes da nação asiática. "A continuidade da tendência de queda do farelo na China está ligada ao ressurgimento de zoonoses", explicam os analistas de mercado da Agrinvest Commodities. 

No mercado CFR China, as atividades permaneceram bastante lentas com a maior parte do interesse de compra focado no Brasil, mas nenhuma nova negociação foi relatada. Na China, o premiê do país disse que a produção de suínos e a prevenção de doenças precisam ser garantidas para a segurança alimentar nacional. Isso foi interpretado por algumas fontes do mercado como um sinal para a continuação da execução do acordo comercial de Fase Um entre os EUA e a China em 2021.

           
Preço soja referência (chicago ):$/MT 516,52   03/mar
           
Preço Brasil - esalq - Paranaguá: $/MT 507,54   03/mar
           
Preço Brasil - Paranaguá: $/MT 503,53   03/mar
PREÇO REFERÊNCIA FAS PARANAGUÁ NET.  Preço Brasil MI = R$ 171,00 por saca

Um embarque de grãos brasileiros em fevereiro foi oferecido a 210 c/bu em relação aos futuros de março, mas não foram ouvidos lances firmes. Para os embarques de abril e maio, as ofertas foram ouvidas a 140-142 c/bu sobre os futuros de maio contra as ofertas de 152-156 c/bu sobre os mesmos futuros. O indicador CFR China para embarque em abril da opção mais barata foi avaliado em 148 c/bu sobre o futuro de maio, equivalente a US$ 573,25/t, alta de US$ 5,25/t em relação ao dia anterior.

Os embarques de junho e julho foram licitados a 156-166 c/bu sobre os futuros de julho contra as ofertas indicadas a 166-177 c/bu sobre os futuros de julho. Na origem, o mercado de papel do Brasil estava ligeiramente mais ativo com um embarque de maio negociado a 14 c/bu sobre o futuro de maio e dois embarques de junho negociados a 38 c/bu e 40 c/bu sobre o futuro de julho, respectivamente.Uma remessa de julho também mudou de mãos a 54 c/bu em relação ao futuro de julho, equivalente a US$ 533,25/t .

  soja US$ 5,66
       
  B3 (Bolsa)    
CONTRATO US$/sc R$/sc VAR
mai/21 31,05 175,74 -0,48%
   
Última atualização: 16:12 (03/03)  
       

Segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA) o percentual de soja colhida no Mato Grosso alcança 57% da área total. O atraso é de 31 pontos percentuais em relação à safra passada.

Em Sorriso, maior produtor nacional de soja, o distrito de Primeirinha foi um dos mais atingidos. A estimativa é que tenha chovido mais de 250 milímetros e em uma fazenda a soja foi coberta pela água somente neste começo de semana. Dos mais de 605 mil hectares plantados, a colheita ocorreu em 70%.

“É um grande impacto. Por enquanto não dá para saber o prejuízo, só depois que as máquinas entrarem, mas deve passar de 10%. Também paralisa muito a colheita que já está atrasada. Só vai poder voltar a colher depois que o solo secar. Agora, depende muito do clima. Se tiver alguma coisa do milho também perde. Não tem oxigênio e morre”, apontou ao Só Notícias, o presidente do Sindicato Rural, Silvano Filipetto.

INDICADOR DA SOJA ESALQ/BM&FBOVESPA - PARANAGUÁ
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$
03/03/2021 172,36 0,60% 2,93% 29,97
02/03/2021 171,34 1,41% 2,32% 30,24
01/03/2021 168,96 0,90% 0,90% 30,18
26/02/2021 167,45 0,43% -0,51% 30
25/02/2021 166,74 0,54% -0,93% 30,28
         

Em Lucas do Rio Verde que tem, em média, 250 mil hectares de lavoura de soja, a colheita também está sendo prejudicada pelas chuvas, segundo o presidente do Sindicato Rural, Antônio Izac Fraga Lira. Ainda falta colher 30% e em algumas fazendas parte da safra está apodrecendo devido a grande umidade. A estimativa é de prejuízo nessa reta final. Se o tempo ajudar, a safra deve ser totalmente colhida em 20 dias. 

Com isso a safra do milho também está atrasada e com as chuvas não há como fazer a aplicação dos defensivos. Em Sorriso o atraso já é de 15 dias na janela.

Prejuízos também são notados em lavouras do Tocantins, onde a soja seca na lavoura já começa a brotar.  A situação compromete a qualidade do grão e já tem produtor colhendo em Tocantins e levando para o Maranhão para secar. Segundo o presidente da Aprosoja Tocantins, Dari Fronza, a entidade já assinou um pedido à Secretaria da Fazenda do Estado para que o ICMS não seja cobrado sobre esse produto. 

"Há muitas fazendas que já largaram soja para trás, apodreceu tudo e a janela ideal do milho acabou. Tem produtores muito atrasados, já tem problemas com cigarrinha também sendo relatados, o que em outros anos não tínhamos", lamenta Fronza. Segundo ele a soja que sai dos armazéns está com  algo entre 15% a 20% de grãos avariados. 

As fortes chuvas também atingem lavouras de soja no Pará, com iguais prejuízos. Veja fotos das lavouras afetadas em Mato Grosso, Tocantins e no Pará.


SUGAR - AÇUCAR

May NY world sugar 11 (SBK21) on Wednesday closed down -0.29 (-1.77%), and May London white sugar 5 (SWK21) closed down -7.80 (-1.62%) at $458.00.

Sugar prices on Wednesday posted moderate losses. A surge in sugar production in India weighed on prices Wednesday, along with weakness in the Brazilian real. Data on Wednesday India&39;s Sugar Mills Association showed that India&39;s Oct-Feb sugar production rose +20% y/y to 23.38 MMT. Weakness in the Brazilian real on Wednesday was another negative factor for sugar prices as the real fell -1.45% to a 4-month low against the dollar.

The weaker real provides incentive for export selling by Brazil&39;s sugar producers.

Sugar prices are correcting lower last Tuesday&39;s contract and 4-year nearest-futures high. Concern about smaller global sugar supplies has fueled recent fund buying of sugar futures. Brazil reported last Monday that current shipping delays for its soybean exports might curb global sugar supplies because the queue of vessels waiting at Brazilian ports is so large that bottlenecks will likely continue until May when sugar is normally the biggest crop for export.

A positive for sugar was last Thursday&39;s forecast by the European Commission that EU 2021/22 sugar production will fall -12% y/y to 15.4 MMT.

Recent strength in crude oil prices has been supportive of sugar prices. Higher crude prices benefit ethanol prices and may prompt Brazil&39;s sugar mills to divert more cane crushing to ethanol production rather than sugar production, thus reducing sugar supplies.

Sugar also has support falling production in Thailand, the world&39;s second-largest sugar exporter. The Thailand Office of the Cane & Sugar Board reported Feb 16 that Thailand&39;s 2020/21 sugar production during Dec 10-Feb 12 fell -23% y/y to 5.5 MMT.

Signs of smaller sugar exports India are another positive factor for sugar prices. The Indian Sugar Mills Association (ISMA) said Feb 18 that India&39;s sugar mills have only contracted 2.5 MMT of sugar exports this year, below the government&39;s export target of 6 MMT on a shortage of shipping containers. Also, the All India Sugar Trade Association has projected India&39;s 2020/21 sugar exports may only total 4.3 MMT, down -25% 2019/20.

Ample sugar supply Brazil is a negative factor for sugar. Unica reported last Wednesday that Brazil&39;s Center-South sugar production Oct through mid-Feb was up +44% y/y to 38.217 MMT. The percentage of cane used for sugar rose to 46.20% in 2020/21 34.48% in 2019/20.

News of higher sugar production India, the world&39;s second-biggest sugar exporter, is also negative for sugar prices. The India Sugar Trade Association on Feb 11 forecast that 2020/21 India sugar production will increase +9% y/y to 29.9 MMT.

Sugar prices have underlying support solid sugar demand Asia. Sugar demand in Indonesia, the world&39;s top importer, is a bullish factor for sugar prices after Indonesia&39;s Trade Ministry on December 30 said it would allow sugar refiners to import 1.93 MMT of raw sugar in the first half of 2021. Also, Indonesia&39;s Sugar Refivers Association recently said that it expects Indonesia&39;s sugar imports to climb +10% y/y to a record 3.3 MMT in 2021 due to higher demand the food and beverage industry. In addition, robust sugar demand in China, the world&39;s second-largest sugar importer, is positive for prices after China&39;s General Administrations of Customs reported Feb 15 that China&39;s 2020 total sugar imports rose +55.5% y/y to 5.27 MMT.

Sugar prices have underlying support dry conditions in Brazil that may curb sugarcane yields and reduce Brazil&39;s sugar production. Maxar on Jan 27 said that "below-average precipitation is expected in the long term" in the Center South. Irregular rain in Brazil&39;s sugar-growing areas is keeping soil moisture levels below normal. The U.S. Climate Prediction Center said on Jan 14 that a La Nina weather pattern would likely last at least until March and possibly beyond, which could lead to prolonged excessive dryness in Brazil that cuts sugarcane yields.

INDICADOR DO AÇÚCAR CRISTAL ESALQ/BVMF - SANTOS
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$  
03/03/2021 110,47 0,05% 1,11% 19,21  
02/03/2021 110,42 -0,48% 1,06% 19,49  
01/03/2021 110,95 1,55% 1,55% 19,82  
26/02/2021 109,26 -0,55% 0,61% 19,58  
25/02/2021 109,86 -0,58% 1,16% 19,95  
Nota: Reais por saca de 50 kg, com ICMS (7%) .      
  media R$ 110,19      
  valor saco $ 19,47      
  valor ton $ 389,37  porto santos - FAS - icmusa 130 - 180
                          com 7% icms    

Os contratos futuros do açúcar caíram de forma expressiva nesta sessão de quarta-feira (03) nas bolsas de Nova York e Londres. Depois de ficar próximo das máximas de quase quatro anos na véspera, o mercado refletiu nesta sessão informações sobre alta na produção da Índia.

O principal vencimento do açúcar bruto na Bolsa de Nova York caiu 1,77%, cotado a US$ 16,14 c/lb, com US$ 16,53 de máxima e mínima de US$ 16,07 c/lb. Já em Londres, o tipo branco finalizou o dia com desvalorização de 1,67%, a US$ 458,00 a tonelada.

"Um aumento na produção de açúcar na Índia está pesando sobre os preços hoje, junto com a fraqueza do real brasileiro", disse em nota de mercado a Barchart.

A India&39;s Sugar Mills Association reportou nesta quarta-feira que a produção de açúcar nas usinas do país entre outubro e fevereiro teve um salto de 20% no comparativo anual, totalizando 23,38 milhões de toneladas na parcial da safra 2020/21 do país.

Além disso, o mercado também acompanhou no dia a fraqueza do real brasileiro, com alta de mais de 1% do dólar comercial sobre a moeda brasileira, a R$ 5,74023 nesta tarde. "O real mais fraco incentiva as vendas de exportação dos produtores de açúcar do Brasil", disse a Barchart.

Apesar disso, o mercado segue monitorando as preocupações com a oferta global e a demanda aquecida pelo adoçante. Além disso, as agências internacionais voltaram a destacar neste início de semana a falta de contêineres no país. Mas, os embarques ocorrem lentamente, conforme mostra o mapa acima.

"O segundo maior produtor mundial, atualmente com enormes estoques, deve exportar quase 20% menos do que a meta do governo e da previsão de uma importante associação", disse a agência de notícias Bloomberg no início da semana.

Os embarques de açúcar da Índia na safra 2020/21, que termina em setembro, são estimados em cerca de 4,9 milhões de t, abaixo da meta inicial do governo do país fixada em 6 milhões de t e também distante das 5,95 milhões de t de 2019/20 no país.

"O mundo precisa do estoque de açúcar que está alocado na Índia, portanto os preços internacionais do açúcar têm que justificar as exportações indianas... Essas últimas semanas com a dificuldade logística acabam trazendo preocupação com a velocidade do fluxo", disse Guilherme Bellotti, gerente do Itaú BBA.

Mercado interno

O Indicador CEPEA/ESALQ do açúcar, cor Icumsa de 130 a 180, mercado paulista, fechou com queda de 0,48%, a R$ 110,42 a saca de 50 kg na terça-feira (02).


 

 

› FONTE: Floripa News (www.floripanews.com.br)

Comentários