Floripa News
Cota??o
Florian?polis
Twitter Facebook RSS

Análise diaria mercado agricola milho soja açucar

Publicado em 28/10/2020 Editoria: AgroNews Comente!


CORN - MILHO

A Bolsa de Chicago (CBOT) despencou nesta quarta-feira para os preços internacionais do milho futuro. As principais cotações registraram movimentações negativas entre 11,50 e 14,50 pontos ao final do dia.

       
miho  
       
  B3 (Bolsa)    
nov/20 83,08 -0,14%  
jan/21 83,5 -0,45%  
mar/21 82,35 -0,66%  
mai/21 76,5 -1,51%  
Última atualização: 18:00 (28/10)  
   

Segundo informações da Agência Reuters, os futuros de grãos dos Estados Unidos foram negociados em território negativo na quarta-feira, corrigindo das altas recentes, após uma venda mais ampla nos mercados globais devido às preocupações sobre o impacto econômico de um aumento nas infecções por COVID-19 na Europa e Estados Unidos.

A publicação destaca que chuvas caíram nas principais regiões produtoras soja e milho verão do Brasil nas últimas 24 horas, de acordo com a previsão do Commodity Weather Group.

“A demanda tem sido robusta por produtos agrícolas dos EUA, embora o governo não tenha relatado nenhuma venda a compradores estrangeiros ontem. A China tem estado visivelmente ausente das listas de exportação desde 15 de outubro, embora as vendas para o que o USDA chama de “destinos desconhecidos” possam ser para o país asiático”, diz o analista Tony Dreibus.

Os preços futuros do milho operaram em baixa durante toda a quarta-feira na Bolsa Brasileira (B3). As principais cotações registravam movimentações negativas entre 1,25% e 1,97% por volta das 16h21 (horário de Brasília).

INDICADOR DO MILHO ESALQ/BM&FBOVESPA (Mercado)  
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$  
28/10/2020 82,67 1,46% 29,92% 14,4  
27/10/2020 81,48 2,27% 28,05% 14,36  
26/10/2020 79,67 1,08% 25,21% 14,16  
23/10/2020 78,82 1,93% 23,87% 14,01  
22/10/2020 77,33 2,57% 21,53% 13,81  

Por outro lado e de acordo com o Cepea, o preço do milho bateu recorde histórico no Brasil na última terça-feira (27) ao chegar em R$ 81,48 a saca. No acumulado de outubro, o milho registra alta de 28,05% e praticamente dobrou de preço na comparação de 12 meses.

A quarta-feira (28) chega ao final com os preços do milho subindo no mercado físico brasileiro. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, não foram percebidas desvalorizações em nenhuma das praças.

No estado de Goiás, o preço médio do milho subiu 4,59% na última semana e fechou a sexta-feira (23) com valor de R$ 64,34, segundo o Ifag (Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás).

Já no Mato Grosso do Sul, a saca do cereal subiu 9,56% entre 19 a 26 de outubro de 2020, encerrando o período negociado a R$ 70,00. 


SUGAR - AÇUCAR
 

Os contratos futuros do açúcar bruto negociados na ICE atingiram uma máxima de oito meses nesta terça-feira, chegando a superar a marca de 15 centavos de dólar, com o mercado ainda no aguardo do anúncio das políticas de exportação da Índia.

O contrato março do açúcar bruto fechou em alta de 0,06 centavo de dólar, ou 0,4%, a 14,83 centavos de dólar por libra-peso, após atingir uma máxima de oito meses durante a sessão, tocando a marca de 15,04 centavos.

Operadores projetam novas altas para o açúcar, apostando que, embora a Índia deva destinar 6 milhões de toneladas do adoçante para exportação, o subsídio para os embarques do país tende a ser menor.

Usinas do Centro-Sul do Brasil devem produzir 36 milhões de toneladas de açúcar em 2021/22, 5% a menos do que na atual temporada, disse a consultoria Datagro.

A produção de açúcar do centro-sul do Brasil somou 2,61 milhões de toneladas na primeira quinzena de outubro, alta de 36,52% na comparação anual, embora a moagem de cana tenha desacelerado no período, informou a União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica).

             
INDICADOR DO AÇÚCAR CRISTAL ESALQ/BVMF - SANTOS  
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$    
28/10/2020 100,36 1,20% 13,38% 17,48    
27/10/2020 99,17 0,21% 12,03% 17,48    
26/10/2020 98,96 1,58% 11,79% 17,59    
23/10/2020 97,42 1,53% 10,05% 17,31    
22/10/2020 95,95 1,21% 8,39% 17,14    
Nota: Reais por saca de 50 kg, com ICMS (7%) .        
  media R$ 98,37        
  valor saco $ 17,17        
  valor ton $ 343,36  porto santos - FAS - icmusa 130 - 180  
                          com 7% icms    
             

O açúcar branco para dezembro avançou 0,90 dólar, ou 0,2%, para 397,50 dólares por tonelada.

Os preços remuneradores do açúcar para as usinas brasileiras podem não se manter por muito tempo, segundo o diretor geral da LMC International, Martin Todd.

Segundo Todd, envios do adoçante à China têm crescido porque o governo chinês quer aumentar seus estoques estratégicos em 1 milhão de toneladas e porque muitos exportadores brasileiros esperam conseguir licenças para vender ao país sem o pagamento de tarifas.

Todd ainda acrescentou que quebras de safra na Tailândia e na Europa também influenciam os preços, mas espera que esses países consigam recuperar a produção.

 

SOYBEAN - SOJA
 

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quarta-feira, 28, com preços em forte baixa. Com os casos de coronavírus aumentando no mundo todo, o clima de aversão ao risco tomou conta do mercado financeiro internacional, com reflexos para as commodities.

SOJA - CME - CHICAGO
CONTRATO US$/bu Variação (cts/US$) Variação (%)
nov/20 10,5725 -25 -2,31
jan/21 10,5475 -21,75 -2,02
mar/21 10,4175 -19 -1,79
mai/21 10,365 -17,5 -1,66
Última atualização: 16:00 (28/10)  
       

Uma série de fatores ajudou nessa correção acentuada dos preços da oleaginosa: a falta de acordo nos Estados Unidos sobre um pacote de ajuda à economia e também a proximidade das eleições americanas. O avanço do plantio no Brasil e a ausência de compras da China no mercado americano completaram o quadro baixista para as cotações.

Os contratos da soja em grão com entrega em novembro fecharam com baixa de 25 centavos de dólar por libra-peso ou 2,31% a US$ 10,57 por bushel. A posição janeiro teve cotação de US$ 10,54 por bushel, com perda de 21,75 centavos ou 2,02%.

Nos subprodutos, a posição dezembro do farelo fechou com baixa de US$ 7,30 ou 1,9% a US$ 376,70 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em dezembro fecharam a 33,42 centavos de dólar, baixa de 0,63 centavo ou 1,85%.

A quarta é de queda generalizada para as commodities e índices acionários diante da forte aversão ao risco que se observa no mercado financeiro internacional, alimentada pelas preocupações e incertezas trazidas pela segunda onda do coronavírus na Europa. 

  soja US$ 5,73  
         
  B3 (Bolsa)      
CONTRATO US$/sc R$/sc VAR  
nov/20 23,39 134,0247 -2,09%  
         
Última atualização: 13:49 (28/10)  

Os Fundos comprados começaram a perder a paciência, já que o USDA não confirmou novas vendas para a China desde 15 de outubro, além de anúncios de vendas para destinos desconhecidos e México. No hemisfério sul, as exportações brasileiras de soja continuaram em forte ritmo, embarcando 290 mil t na semana passada e elevando o total acumulado em outubro para 1,89 milhão de mt até agora.

O petróleo também intensifica as perdas - em partes vindas do aumento dos estoques norte-americanos reportados hoje pela Administração de Informações de Energia dos EUA (EIA) - e somente na Bolsa de Nova York cede mais de 5%, com o barril sendo cotado a US$ 37,35. No mesmo momento, o ouro perdia 2%. Os índices acionários europeus e norte-americanos também operam no vermelho, com o S&P registrando seu pior momento em quase dois momentos, como noticia a agência internacional Bloomberg. 

A possibilidade de novos lockdowns em países europeus preocupa e coloca em evidência, novamente, o ritmo e a força da recuperação economia mundial depois da pandemia. Durante toda esta semana, os mercados na Europa vêm apresentando baixas consideráveis diante desses novos temores. 

Da mesma forma, o dólar disparou nesta quarta-feira. Somente frente ao real, o ganho chegou a superar 1% ao longo da sessão, com a moeda americana sendo cotada a R$ 5,73. 

SOJA - PREMIO  
CONTRATO VALOR  
out/20 200  
nov/20 210  
fev/21 115  
mar/21 85  
Última atualização: 26/10/2020  
     

Os preços da soja se mantiveram inalterados no mercado do Rio Grande do Sul, segundo informações divulgadas pela TF Agroeconômica. “Os preços subiram mais R$ 1,00/saca para R$ 169,50 no porto gaúcho de Rio Grande, para pagamento em 6 de novembro. Em Canoas o preço subiu R$ 1,00para R$ 169,00 para pagamento em 06 de novembro. Em Ijuí e em Cruz Alta subiu mais um real/saca para R$ 169,00, para final de novembro e em Passo Fundo permaneceu inalterado em R$ 170,00, para final de novembro. Em Santa Rosa, os preços permaneceram inalterados em R$ 170,00/saca”, comenta. 

No Paraná, o panorama segue o mesmo. “No mercado de lotes, para entrega em outubro/novembro o preço subiu mais R$ 4,00 R$ 160,00/saca, em Ponta Grossa, pagamento no início de dezembro. No interior dos Campos Gerais, porém, o preço se manteve inalterado em R$ 165,00, retirada outubro/novembro, mas pagamento em janeiro. Em Paranaguá a cotação do mercado disponível também permaneceu inalterada a R$ 154,00, entrega no mês e pagamento final de outubro, cotação apenas nominal, porque não há negócios”, completa. 

               
Preço soja referência (chicago ):$/MT 465,63   28/out    
               
Preço Brasil - esalq - Paranaguá: $/MT 478,01   28/out    
               
Preço Brasil - MI - Paranaguá: $/MT 479,93   28/out    
PREÇO REFERÊNCIA FAS PARANAGUÁ NET.  Preço Brasil MI = R$ 165 por saca    
               

“Para a safra 2021, o preço continuou inalterado em $ 135,00/saca, em Ponta Grossa, entrega e pagamento abril/abril e R$ 137,00 em Paranaguá para entrega em março e pagamento em abril de 2021. Soja para 2021 na Ferrovia, em Maringá, com entrega até 22/01, pagamento 15/02 –R$ 132,50 (R$130,50 anterior); entrega até 15/04, pagamento 30/04 – R$ 130,00 (R$128,00); entrega até 15/05, pagamento 31/05 –R$ 130,50) R$128,50; entrega até 15/06, pagamento 30/06 –R$ 132,00 (R$130,00); entrega até 15/07, pagamento 30/07 –R$ 132,50 (R$130,50”, conclui. 

A alta de mais de 1% do dólar comercial elevou as cotações da soja nas principais praças do país, ainda que os referenciais sejam nominais. Os valores subiram principalmente em Rondonópolis (MT), onde a saca pulou de R$ 173 para R$ 176.

Neste ano, os embarques dos produtos complexo soja subiram 32%. O açúcar também teve destaque, com avanço de 71% nas exportações. Para as vendas externas de algodão em pluma o crescimento chega a 59%, de janeiro a setembro.

INDICADOR DA SOJA ESALQ/BM&FBOVESPA - PARANAGUÁ  
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$  
28/10/2020 164,34 -1,34% 10,95% 28,62  
27/10/2020 166,57 1,12% 12,46% 29,36  
26/10/2020 164,73 0,30% 11,21% 29,28  
23/10/2020 164,23 0,06% 10,88% 29,18  
22/10/2020 164,13 2,92% 10,81% 29,32  
           

Segundo a pesquisadora do Cepea, Andrea Adami, os volumes de produtos se expandiram. Por outro lado, os principais destinos não tiveram alteração. “Ainda estamos vendo maior demanda dos países asiáticos, principalmente a China, que respondeu por 37% de tudo o que exportamos, com destaque para as importações de soja e de carne bovina, que vem crescendo nos últimos dois anos”, destaca Andrea.

Apesar da demanda elevada pelos países asiáticos, a pesquisadora do Cepea destaca fala da necessidade de o Brasil diversificar os destinos das exportações. “Temos vistos esforços no sentido de ampliar as vendas para países árabes, Oriente Médio. Além disso, temos um potencial muito bom na Europa, principalmente para itens como café, suco de laranja e frutas, por exemplo”, ressalta.

 

› FONTE: Floripa News (www.floripanews.com.br)

Comentários