Floripa News
Cota??o
Florian?polis
Twitter Facebook RSS

Análise diaria mercado agricola milho soja açucar

Publicado em 22/10/2020 Editoria: AgroNews Comente!


CORN - MILHO 

Já os preços internacionais do milho futuro subiram nesta quinta-feira na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram movimentações positivas entre 1,25 e 2,50 pontos ao final do dia.

Segundo informações do site internacional Successful Farming, os preços futuros do milho em Chicago operam com influencia da forte demanda por exportações norte-americanas e da redução na produção de etanol nos Estados Unidos.As vendas de milho nos EUA têm sido robustas nas últimas semanas, com ontem marcando o fim de uma sequência de sete dias de compras anunciadas de produtos agrícolas por compradores estrangeiros. Os exportadores anunciaram esta semana vendas de 468.000 toneladas de milho para importadores.Por outro lado, a produção de etanol nos Estados Unidos caiu para o nível mais baixo em três semanas, enquanto os estoques também caíram, de acordo com a Administração de Informação de Energia.

miho  
       
  B3 (Bolsa)    
nov/20 81,5 -1,63%  
jan/21 81,5 -1,68%  
mar/21 80,8 -1,82%  
mai/21 75 -2,60%  
Última atualização: 18:00 (22/10)  
   

Após acumularem grandes ganhos nos últimos dias, os preços futuros do milho caíram na Bolsa Brasileira (B3) nesta quinta-feira. As principais cotações registravam movimentações negativas entre 0,70% e 1,37%% por volta das 16h21 (horário de Brasília).

O vencimento novembro/20 era cotado à R$ 82,85 com baixa de 1,28%, o janeiro/21 valia R$ 82,89 com desvalorização de 1,37%, o março/21 era negociado por R$ 82,30 com perda de 0,70% e o maio/21 tinha valor de R$ 77,00 com queda de 1,31%.

INDICADOR DO MILHO ESALQ/BM&FBOVESPA (Mercado)  
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$  
22/10/2020 77,33 2,57% 21,53% 13,81  
21/10/2020 75,39 2,81% 18,48% 13,45  
20/10/2020 73,33 2,57% 15,24% 13,1  
19/10/2020 71,49 1,09% 12,35% 12,76  
16/10/2020 70,72 0,60% 11,14% 12,53  

De acordo com o analista de mercado da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, o mercado segue firme com a demanda interna aquecida e o setor de rações trabalhando na capacidade máxima. O comprador fez as contas e hoje o milho importado está chegando aos portos à R$ 74,00 ou R$ 75,00 e para chegar na indústria vai passar dos R$ 80,00 esse milho americano. Isso acabou inflando um pouco o mercado.

Ainda nesta quinta-feira, a consultoria StoneX realizou uma apresentação online sobre o cenário de mercado das principais produções brasileiras. Olhando para o milho, a analista de mercado Ana Luiza Lodi destacou que o preço está fortalecido e isso aumenta a intenção de plantio para a segunda safra 2021.
 


SUGAR - AÇUCAR

 

Os contratos futuros do açúcar bruto negociados na ICE recuaram com o mercado afastando-se de uma máxima de sete meses e meio registrada no início desta semana.

O contrato março do açúcar bruto fechou em queda de 0,04 centavo de dólar, ou 0,3%, a 14,50 centavos de dólar por libra-peso.

Operadores disseram que as compras por fundos parecem ter sido temporariamente interrompidas, após contribuírem com a alta recente, e que as realizações de lucros pressionaram o mercado.

INDICADOR DO AÇÚCAR CRISTAL ESALQ/BVMF - SANTOS  
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$    
22/10/2020 95,95 1,21% 8,39% 17,14    
21/10/2020 94,8 0,30% 7,09% 16,91    
20/10/2020 94,52 1,97% 6,78% 16,89    
19/10/2020 92,69 1,07% 4,71% 16,54    
16/10/2020 91,71 0,27% 3,60% 16,25    
Nota: Reais por saca de 50 kg, com ICMS (7%) .        
  media R$ 93,93        
  valor saco $ 16,74        
  valor ton $ 334,88  porto santos - FAS - icmusa 130 - 180  
                          com 7% icms    

Um anúncio sobre a extensão dos subsídios da Índia às exportações nesta temporada segue muito aguardado, com algumas preocupações de que os problemas financeiros causados pela pandemia de covid-19 possam limitar o apoio do governo à indústria do açúcar do país.

Operadores citaram que as chuvas no Brasil desaceleraram a colheita deste ano, mas devem melhorar as perspectivas para a safra 2021.

O açúcar branco para dezembro recuou 3,50 dólares, ou 0,9%, para 393,30 dólares a tonelada.


SOYBEAN - SOJA 

 

Os futuros da soja passaram a operar em campo misto no meio da manhã desta quinta-feira (22) depois de iniciarem o dia em alta e das últimas e fortes altas. Por volta de 9h50 (horário de Brasília), as cotações do novembro e do janeiro subiam 1,50 e 0,75 ponto - para US$ 10,73 e US$ 10,72 - e o maio e o julho recuavam 0,50 e 0,75 ponto, para US$ 10,54 e US$ 10,55 por bushel. 

"Se não tivermos uma surpresa altista nas exportações semanais norte-americanas é possível termos um movimento de realização de lucros, que na minha opinião seria apenas uma pausa antes de Chicago retomar a tendência altista", acredita Steve Cachia, consultor de mercado da Cerealpar e da TradeHelp. 

SOJA - CME - CHICAGO  
CONTRATO US$/bu Variação (cts/US$) Variação (%)  
nov/20 10,7375 1,75 0,16  
jan/21 10,7225 0,75 0,07  
mar/21 10,5875 0 0  
mai/21 10,55 0 0  
Última atualização: 16:15 (22/10)    
         

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) informou uma nova venda de 284,404 mil toneladas de soja e mais 130 mil toneladas de trigo.

Do total da soja, 152,404 mil toneladas foram compradas pelo México e as outras 132 mil, por destinos não revelados. No caso do trigo, o volume todo é destinado à Coreia do Sul. E todas as compras referem-se à safra 2020/21. 

A demanda intensa pela soja norte-americana, principalmente por parte da China, já tem garantido números fortes e recordes para as exportações deste ano comercial. As vendas são recordes e os embarques muito superiores à temporada anterior. 

Mais do que isso, os compradores também buscam garantir a soja em um momento em que há grande preocupação com a nova safra da América do Sul em função do clima adverso. A influência do La Niña coloca em risco não só uma parte da produção americana, como também do Paraguai e da Argentina. 

O Brasil não terá apenas uma colheita de soja tardia na safra 2020/21, devido ao atraso no plantio, mas quando ela começar a se intensificar, ao final de janeiro, é possível que até 70% da produção esperada para a temporada já esteja comercializada, avaliou nesta quinta-feira a consultoria StoneX.

Isso significa que os preços da soja, que superaram 160 reais por saca no porto de Paranaguá (PR) nesta semana devido à baixa disponibilidade, um nível nunca visto, deverão ter pouco alívio quando os trabalhos de colheita começarem.

  soja US$ 5,61  
         
  B3 (Bolsa)      
CONTRATO US$/sc R$/sc VAR  
nov/20 23,7 132,957 0,38%  
         
Última atualização: 15:21 (22/10)  

Os preços da soja subiram apenas R$ 0,50/saca nesta quarta-feira no estado do Rio Grande do Sul, de acordo com a TF Agroeconômica. “Definitivamente, com a liberação das importações de soja e milho o governo contribuiu para estabelecer um teto para a alta dos preços destes dois produtos, ao redor de R$ 177,00/saca para a soja (pouco a subir ainda) e R$ 85,00/saca para o milho (relativamente mais a subir)”, comenta. 

“Por isto os preços subiram apenas R$ 0,50/saca para R$ 166,00 no porto gaúcho de Rio Grande, para pagamento em 6 de novembro. Em Canoas o preço também subiu R$ 0,50 para R$ 165,50 para pagamento em 06 de novembro. Em Ijuí e em Cruz Alta mantiveram o preço dos dois dias anteriores a R$ 165,00, para final de novembro e em Passo Fundo também continuaram a R$ 168,00, para final de novembro. Em Santa Rosa, os preços mantiveram R$ 165,00/saca”, completa. 

No Paraná, os preços da soja recuaram R$ 4,00/saca nesta terça-feira para R$ 156,00 em Ponta Grossa. “No mercado de lotes, para entrega em outubro o preço também se manteve em R$ 156,00/saca, em Ponta Grossa, pagamento meados de novembro. No interior dos Campos Gerais, porém, o preço continuou a R$ 160,00, retirada outubro, pagamento em novembro.  Em Paranaguá a cotação do mercado disponível recuou mais um real/saca para R$ 154,00, entrega no mês e pagamento final de outubro, cotação apenas nominal, porque não há negócios”, indica. 

“Também para a safra 2021, o preço permaneceu inalterado em $ 133,00/saca, em Ponta Grossa, entrega e pagamento abril/abril e R$ 136,00 em Paranaguá para entrega em março e pagamento em abril de 2021. Soja para 2021 na Ferrovia, em Maringá com entrega até 22/01, pagamento 15/02 - ideia R$130,50; entrega até 15/04, pagamento 30/04 - ideia R$128,00; entrega  até 15/05, pagamento 31/05 -  ideia R$128,50; entrega até 15/06, pagamento 30/06 -  ideia R$130,00; entrega até 15/07, pagamento 30/07 - ideia R$130,50”, conclui. 

SOJA - PREMIO  
CONTRATO VALOR  
out/20 200  
nov/20 210  
fev/21 115  
mar/21 85  
Última atualização: 22/10/2020  
     

O atraso no plantio pela demora na regularização das chuvas de primavera neste ano, contudo, não representa por ora problemas para a produtividade ou para o tamanho da área plantada, uma vez que a safra deverá ser semeada dentro da janela adequada para a oleaginosa, disse à Reuters a analista de inteligência de mercado da StoneX, Ana Luiza Lodi.

A consultoria, assim, está mantendo a projeção de crescimento de área de 3% ante a temporada anterior, para um recorde de quase 38 milhões de hectares, conforme previu no início do mês em sua reavaliação mensal, o que resultaria uma safra recorde de 132,6 milhões de toneladas, alta de 7% ante o ciclo passado.

A avaliação leva em conta investimentos que estão sendo realizados na lavoura, diante dos preços recordes e das fortes fixações de vendas.

Nas contas da StoneX, o produtor já comercializou antecipadamente 53% da produção brasileira, ou mais de 70 milhões de toneladas, um volume superior à safra da Argentina, terceiro produtor mundial após EUA e Brasil.

"Tem que ver como o produtor vai se comportar, com essas questões de clima, ele acaba ficando mais comedido. Mas daqui a três meses, quando começar a colheita, algo entre 60% e 70% da safra pode já estar vendido", disse a analista.

"Os preços podem, quando a colheita ganhar força, dar uma baixada, mas nada tão significativo, porque vamos começar a safra 2020/21 com expressivos volume vendidos", afirmou.

               
Preço soja referência (chicago ):$/MT 471,70   22/out    
               
Preço Brasil - esalq - Paranaguá: $/MT 487,61   22/out    
               
Preço Brasil - MI - Paranaguá: $/MT 490,20   22/out    
PREÇO REFERÊNCIA FAS PARANAGUÁ NET.  Preço Brasil MI = R$ 165 por saca    
               

A analista disse ainda que o atraso no plantio do país, maior produtor e exportador global de soja, tem levado alguns produtores a renegociar entregas de soja antes previstas para janeiro.

Boa parte deles, segundo os relatos do mercado, disse ela, estão postergando as entregas para fevereiro, quando a colheita tende a estar mais concentrada.

Apesar da concentração maior do início da colheita em fevereiro, a analista disse não acreditar em problemas logísticos e nos portos, devido aos investimentos realizados recentemente para melhorar o escoamento.

"Não deve ter problemas em portos, pode ter aumento no custo de frete, mas não deve faltar logística", comentou.

Entretanto, a soja brasileira começará a ser embarcada um pouco mais tarde, o que deve reforçar a janela de exportação dos Estados Unidos, lembrou.

"Tanto que já tem produtor renegociando contratos, renegociando para entregar em fevereiro", frisou.

INDICADOR DA SOJA ESALQ/BM&FBOVESPA - PARANAGUÁ  
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$  
22/10/2020 164,13 2,92% 10,81% 29,32  
21/10/2020 159,47 -0,98% 7,66% 28,44  
20/10/2020 161,05 1,99% 8,73% 28,77  
19/10/2020 157,91 -0,96% 6,61% 28,18  
16/10/2020 159,44 1,55% 7,64% 28,24  
           

Enquanto em 2019/20 o Brasil teve, ao final de janeiro, 10% da safra colhida, e em 2018/19, 20% da colheita realizada, na temporada atual com "grande certeza" haverá disponível menos de 10% da soja projetada para o ciclo, exemplificou a analista.

Para Ana Luiza, as esmagadoras de soja estão cientes de que janeiro tradicionalmente não é um mês de oferta grande. Mas nesta temporada a baixa oferta carregada da safra anterior, após fortes exportações e grande consumo interno, vai acirrar a disputa com os exportadores.

"Vamos terminar 2020 praticamente sem soja, então janeiro, quanto mais demorar a entrar a safra nova no mercado, mais reforça a restrição da oferta", disse ela, avaliando que, embora as chuvas comecem a se regularizar para o plantio, não será possível tirar o atraso.

O Mato Grosso, que costuma liderar os trabalhos de colheita, havia plantado menos de 10% da área até a última sexta-feira, ante mais de 40% no mesmo período do ano passado.

 

 

› FONTE: Floripa News (www.floripanews.com.br)

Comentários