Floripa News
Cota??o
Florian?polis
Twitter Facebook RSS

Instauração de CPI para investigar Dossiê Celesc é discutida nesta terça na Assembleia

Publicado em 13/08/2013 Editoria: Política Comente!


O esquema de notas frias, que resultou em um suposto desvio de R$ 5,9 milhões dos cofres da Celesc em 2010, noticiado pela RIC TV e pelo Notícias do Dia na última semana, deixa em alerta os deputados da Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina). Entre os desdobramentos, o PT e PSDB devem debater o tema nesta segunda-feira nas reuniões de bancada. Há parlamentares que consideram as irregularidades merecedoras de investigação por CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito).

Os petistas devem se encontrar ao meio-dia. A líder do partido na Casa, a deputada Ana Paula Lima vai colocar o assunto em pauta, mas se pronunciará somente após o debate. O correligionário Dirceu Dresch considera que a empreitada de notas frias em contratos por dispensa de licitação precisaria ser tratada em uma CPI. Até porque, segundo ele, é um caso recorrente.

“Já houve outras irregularidades, como na contratação da empresa de cobrança Monreal, que até hoje não foi esclarecido. Vamos dialogar para fazer uma avaliação, pois não queremos propor uma CPI e depois desistir por não conseguir as assinaturas, já que a maioria na Casa é da base do governo”, observou o deputado do PT. O pedido de CPI precisa ser subscrito por 14 parlamentares.

O deputado Amauri Soares (PDT) compartilha a opinião. “Se trata de um problema que precisaria ser fiscalizado por CPI, mas é uma situação que todo mundo fica cheio de dedos”, lamentou.

A deputada Angela Albino (PC do B) também afirma se mobilizar em relação às denúncias. Nesta terça-feira terá uma reunião para ouvir os representantes do sindicato dos trabalhadores da estatal, responsáveis por denunciar o caso ao Ministério Público há cerca de dois anos.

De acordo com o líder do PSDB, Dóia Guglielmi, deputados do partido também devem debater o assunto na reunião de hoje da bancada. Dóia ainda não tem um posicionamento sobre o tema, assim como o líder do PMDB Carlos Chiodini.

› FONTE: Notícias do Dia

Comentários